INFORME-SE

Loading...

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Mulheres precisam diminuir o risco de doenças cardíacas e câncer com a atividade física diária.

Mulheres têm coração menor e mais gordura corporal do que homens

As diferenças biológicas entre homens e mulheres podem ser bastante curiosas. Uma delas é que o coração da mulher é menor do que o do homem. 

Sendo assim, ejeta menos volume de sangue por minuto. Por isso, a pulsação das mulheres tende a ser maior do que nos homens. Além disso, a mulher tem 10% a mais de gordura corporal, e entre 20 a 40% menos massa magra e força que os homens. O mesmo ocorre em relação à capacidade pulmonar e ao crescimento fisiológico do chamado coração de atleta, muito maior no homem do que na mulher ativa. Porém, um problema cardiovascular na mulher é mais grave do que no homem. Isso porque a anatomia das artérias coronárias que nutrem o coração feminino é de estrutura menor e mais fina o que, nas obstruções por placas de gordura, resultam em pior prognóstico. 

Mulheres possuem sintomas atípicos de doenças cardíacas, e isso pode confundir o diagnóstico exato de um quadro agudo como o infarto do miocárdio da mulher. Embora a doença arterial coronariana (DAC) seja a principal causa de morte em homens e mulheres, a cada ano aumenta mais esse número entre as mulheres.

Para diminuir o risco de doenças cardiovasculares e de câncer, cada vez mais as mulheres devem se conscientizar da importância da atividade física diária. As mulheres que optam por um estilo de vida mais saudável e incluem a prática de exercícios em sua rotina diária reduzem o risco dessas doenças e complicações, sobretudo das cardiovasculares, metabólicas e até mesmo de alguns tipos de câncer, como o de mama, de cólon e da vesícula biliar. Além disso, melhoram a saúde óssea e reprodutiva, o humor, a autoestima, controlam os níveis de estresse e o peso corporal.

Por Jornalismo Portal EF

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Homeopatia: saiba como o tratamento auxilia o organismo de esportistas

Tratamento diminui o número de câimbras, melhora desempenho e ajuda no estresse emocional. 

Depois de começar a praticar atividades físicas é comum que o esportista comece a ter reincidências de lesões e sensações de dor. Neste momento o atleta deve decidir entre iniciar fisioterapia ou tratamento com uma bateria de remédios. Porém, existe mais uma alternativa que, junto da medicina tradicional, pode salvar o treinamento e a saúde: a homeopatia.

A homeopatia é considerada um tipo de medicina alternativa que utiliza métodos científicos para tratar e prevenir doenças agudas e crônicas. Apesar de muitos cientistas desacreditarem na eficácia do tratamento, existe um número crescente de homeopatas que manipulam plantas e minerais diluídos em água ou álcool para gerar medicamentos que ajudem o organismo a se recuperar.

O benefício da homeopatia é a garantia de um organismo saudável, até mesmo quando o indivíduo não está com uma patologia, e um tratamento personalizado. “Quando testado por ressonância nuclear magnética ou por cromatografia, cada medicamento é diferente e único, assim como cada potência desse medicamento. Portanto, embora cada medicamento homeopático tenha aparência e sabor idênticos, cada qual tem seu próprio padrão e propriedades”, conta o homeopata especialista no tratamento de esportistas, André Castanhede.

De acordo com o homeopata, a medicina alternativa ressalta o poder de capacidade de mutação de microorganismo, portanto tem a função de aumentar a imunidade corporal. “Além de reduzir o risco de resistência bacteriana, o baixo custo dos medicamentos homeopáticos beneficia o acesso ao medicamento. É diferente da alopatia, em que o medicamento é específico somente para tratar de um sintoma, como o analgésico contra a dor e um antibiótico contra infecção”, completa.

Contra lesões
Segundo André, a homeopatia é uma prática que tomou maiores proporções nos países europeus e que é utilizada por um grande número de atletas estrangeiros. “No Brasil existem 15 mil médicos 16º maior grupo entre as 61 especialidades médicas. mas mesmo assim praticamente nem se fala do contexto homeopático dentro do esporte”, lamenta.

Caso o tratamento fosse requisitado pelos atletas, ele teria como objetivo melhorar o ânimo e desempenho, além de diminuir o número de queixas físicas e de ordem mental. “Somada a um médico do esporte, a homeopatia facilita a volta do esportista após uma lesão”, ressalta o especialista.

Castanhede também afirma que a medicina alternativa ou complementar pode ajudar em casos simples de dores. “A dose homeopática reduz o número de câimbras, pois diminui a concentração do "ácido lático” (lactato sanguíneo), revela.

Tratamento
Segundo André, não existe restrições para se utilizar o medicamento e ele deve ser adotado desde quando o indivíduo ainda é um bebê.
Fonte:www.educacaofisica.com.br  e http://homeopatiaemjundiai.blogspot.com.br/